segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Lula diz que três Poderes terão que cortar gastos "na veia

07/01/2008 - 08h55

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou nesta segunda-feira, durante o programa semanal de rádio "Café com o Presidente", o pacote anunciado pelo governo federal para compensar a perda de arrecadação com o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e afirmou que os três Poderes terão que cortar gastos "na veia".

"Nós resolvemos com muita seriedade e com muita tranqüilidade, primeiro, anunciar ao Brasil que nós temos que cortar na veia outra vez, ou seja, temos que cortar os gastos. Isso vale para o Poder Executivo, vale para o Poder Judiciário e vale para o Poder Legislativo."

Na semana passada, o governo federal anunciou um pacote de medidas para compensar a arrecadação que será perdida com o fim do chamado "imposto do cheque". Entre as medidas anunciadas está o aumento das alíquotas do IOF (Imposto sobre Operação Financeira) e da CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) do setor financeiro, além da realização de um corte de R$ 20 bilhões nas despesas de custeio e investimento dos três Poderes.

Segundo Lula, o lucro alto dos bancos explica o aumento da alíquota da CSLL. "A Contribuição Social sobre Lucro Líquido dos bancos, aumentamos de 9% para 15%. E os banqueiros não reclamaram. E não reclamaram por quê? Porque os bancos tiveram muito lucro nesses últimos anos. Agora, os bancos estão ganhando eles vão poder pagar um pouco mais. E nós resolvemos, então, taxar o lucro líquido desse bancos."

O petista também comentou o aumento do IOF. "Tanto o IOF quanto a contribuição dos bancos vão nos dar por volta de R$ 10 bilhões. Mais R$ 20 bilhões que nós vamos cortar do orçamento chegamos a R$ 30 bilhões. Os outros R$ 10 bilhões nós achamos que com o crescimento economia, com mais gente pagando imposto, com modernização da receita, a gente vai poder arrecadar."

O presidente voltou a afirmar que os programas sociais serão mantidos com o fim da CPMF. "Os programas sociais serão mantidos. A educação é condição fundamental para que o Brasil dê um salto de qualidade. Para o Brasil melhorar definitivamente e transformar-se em uma grande nação, em uma grande potência, o Brasil precisa investir muito em educação."

Lula também afirmou que o povo está mais confiante no Brasil. "O governo está tranqüilo com as coisas que estão acontecendo porque nós fizemos sacrifício no primeiro mandato para poder garantir a tranqüilidade que podemos oferecer ao povo brasileiro hoje. Nós certamente estaremos sempre muito vigilantes para que a gente não permita que haja nenhum desvio nas metas que nós já traçamos para chegar a 2010."

O presidente disse ainda esperar que 2008 seja um ano melhor que 2007. "Que 2008 seja um ano extraordinário para todos nós, e sobretudo que o povo brasileiro viva um 2008 muito mais vigoroso do que vivemos 2007. As coisas estão preparadas para acontecer. O dinheiro do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) foi empenhado, a iniciativa privada tem feito investimentos importantes."

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial